logo_branco

                                                        Vivendo um sonho de infância

 

Rebeca conta como decidiu seguir a carreira da pesquisa científica

O renomado professor do laboratório de Ficologia da UFSCar, Armando Augusto Henriques Vieira1, teve seu nome eternizado em uma área na qual atuou durante sua vida acadêmica. Hoje aposentado e professor sênior da universidade, foi em sua homenagem que uma espécie de microalga verde descoberta no final do ano passado foi denominada Nephrocytium vieirae2. Isso porque foi no laboratório que ele ajudou a formar em 1977, que a microalga foi analisada recentemente.

Durante certo período de sua graduação a ex-aluna do Colégio Interativo, Rebeca Vieira, atuou no mesmo laboratório de Ficologia. Ela se diz apaixonada pela área desde a infância. E uma fonte de inspiração para o trabalho que realiza é o seu avô, o professor Armando. Desde a infância, Rebeca Vieira conta que o avô já explicava para ela aspectos curiosos da biologia e ela ficava encantada com tudo aquilo.

Desde então, sua paixão pela ciência só foi crescendo. Mas viver a carreira acadêmica tão sonhada não foi tão simples. Ela conta a dificuldade em entrar no curso de ciências biológicas que queria: fez dois anos de cursinho no Colégio Interativo, teve que lutar contra algumas crises de ansiedade durante os estudos e também no momento do vestibular.

Rebeca ingressou no curso de Ciências Biológicas na Unicep3 e fez iniciação no laboratório de Ficologia da Ufscar já citado anteriormente. Hoje ela realiza seu mestrado junto ao pesquisador mais premiado do Brasil, o professor Vanderlei Bagnato4. O trabalho que realiza no Instituto de Física da USP de São Carlos envolve o uso de Terapia Fotodinâmica (PDT) na área de Inativação Fotodinâmica para o Controle de Microrganismos e Resistência Bacteriana.

 

Rebeca explicando sobre as pesquisas que realiza atualmente

Ela agradece todo apoio que teve do Colégio Interativo e para a sua formação enquanto estudante para se tornar a pesquisadora científica que é hoje e tanto sonhou ser desde a infância, inspirada no avô.

 

Rebeca preenchendo o mural da disciplina da qual participou

Texto: Renan Augusto Trindade

Fotos: Talita Barboza